sábado, janeiro 14, 2006

MTST organiza ato político em repúdio à violência policial

Plínio Rodrigues

No dia 13 de janeiro, dezenas de trabalhadores sem teto se reuniram no Sindicato dos Químicos de Osasco para a realização de ato em repúdio a violência policial sofrida pelos movimentos sociais. Na ocasião, lideranças leram parte do relatório descrevendo casos de agressões sofridas no acampamento Carlos Lamarca, em Osasco, na noite do dia 5 de janeiro.

“A violência policial contra os movimentos populares não data de hoje, e esse não é um caso isolado. O que aconteceu no acampamento Carlos Lamarca no último dia 5 foi uma tentativa de repressão e de criminalização de um movimento social legítimo. O que a repressão policial violentamente tenta fazer é transformar a pobreza em crime. É fazer com que trabalhadores sem teto sejam vistos como marginais. Na noite do dia 5 deixaram nua sua face autoritária quando invadiram, sem ordem judicial, o acampamento no Jd. Novo Osasco, agredindo mulheres e crianças gratuitamente, e levando cinco moradores presos. Esses moradores foram agredidos desde o momento em que entraram na viatura, com pancadas de cassetete e spray de pimenta nos olhos. Uma das vítimas não pôde estar presente hoje porque está ameaçada de morte pelos policiais militares”, declarou um dos líderes do MTST. A ação da polícia foi movida por uma suposta denúncia anônima de que havia uma arma escondida no acampamento.

O relatório foi entregue a um ouvidor da polícia militar que estava presente no local e recebeu o documento em mãos. Fora do prédio do sindicado, cinco viaturas da PM permaneceram na rua até o final do ato.



2 comentários:

marquinhosantana disse...

violência, imoralidade, desrepeito, são tão comuns nos dias atuais que dá-nos a sensação de morarmos ao lado de uma fetida indústria e nem percebemos de tão acostumados que estamos.

marquinhosantana disse...

noticia assim dá se os parabéns pelo fato comentado ou os pesamês pela incomensuravel notícia?